Medium_foto_perfil
Samanta Luchini    |   10/09/2021   |   Desenvolvimento Humano   |  

A conta bancária emocional

A conta bancária emocional é uma metáfora que aborda a quantidade de confiança acumulada num relacionamento. Ela é responsável pela sensação de segurança que desejamos experimentar.


Publicidade


A grande maioria das pessoas sabe como funciona uma conta bancária, de uma maneira geral.

Para poder fazer um saque, um pagamento ou uma transferência, por exemplo, é preciso que haja saldo disponível. A lógica é bem simples, para fazer um débito é necessário que antes tenha sido feito um crédito.

Porque do contrário, o saldo fica negativo e corre-se o risco de utilizar o limite que o banco disponibiliza, cobrando por isso juros altíssimos, que logo se transformam numa bola de neve que pode comprometer toda sua saúde financeira.

Com certeza você conhece alguém bem próximo que já caiu nessa armadilha e a partir disso, tenha se tornado muito mais atento e cuidadoso com suas finanças e com a movimentação da conta bancária.

Agora, pare por um minuto e pense nessa mesma lógica, aplicada aos seus relacionamentos.

Por mais que um vínculo de confiança não possa ser quantificado por uma soma de dinheiro, ele também se submete a essa ideia de depósitos e retiradas, créditos e débitos.

Trata-se do conceito de conta bancária emocional, que eu sempre menciono nas minhas aulas, treinamentos e palestras, especialmente quando falo para líderes, com o intuito de mostrar que os nossos relacionamentos também precisam do cuidado que geralmente as pessoas dedicam às suas finanças.

Relacionamentos também demandam gestão diária e investimentos de curto, médio e longo prazo. Principalmente aqueles que são mais próximos e regulares.

E como esse assunto sempre provoca excelentes reflexões na sala de aula, achei bacana escrever sobre ele, para que você possa conhecer, relembrar, refletir e compartilhar a ideia.

Esse conceito foi cunhado pelo autor americano Stephen Covey, em sua obra “Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes”, que é best-seller quase permanente.

A conta bancária emocional é uma metáfora que aborda a quantidade de confiança acumulada num relacionamento. Ela é responsável pela sensação de segurança que almejamos quando nos relacionamos com as outras pessoas.


Continua depois da publicidade


À medida que fazemos depósitos na conta bancária emocional de um determinado relacionamento, através de cortesia, gentileza, honestidade, escuta ativa, posicionamento empático, valorização das pequenas coisas do dia-a-dia, feedback positivo frequente, parceria, colaboração, compartilhamento, incentivo, presença e compromisso com o que foi acordado, estamos criando um saldo positivo – uma reserva – de confiança. E essa confiança tem o poder de fazer esse relacionamento ser mais sustentável, frutífero e edificante.

E mesmo que o relacionamento passe por percalços e reveses, dentre outros saques e débitos mais específicos que vou comentar mais adiante, essa reserva faz uma espécie de compensação e mantem o relacionamento num nível positivo.

Quando o saldo da conta bancária emocional é positivo, a comunicação funciona melhor, as partes adotam a perspectiva do ganha-ganha com mais facilidade, ficam mais propensas a colaborar na resolução dos problemas e se sentem mais bem compreendidas.

Por outro lado, se o saldo é muito justo ou negativo, o relacionamento fica vulnerável aos saques e débitos que geralmente fazem parte do nosso dia-dia.

Conflitos, quebras de expectativa, feedbacks corretivos, falhas de comunicação, problemas e desafios de qualquer natureza, cobranças e pressão são eventos que nos afetam quase todos os dias. Ao melhor estilo “a realidade é o que ela é e não o que gostaríamos que ela fosse”.

Esses eventos demandam de nós uma abordagem assertiva e o uso de técnicas e ferramentas especificas. Mas antes de tudo, consomem o saldo da conta bancária emocional.

Por isso precisamos fazer os depósitos com frequência, de modo que o saldo seja sempre positivo e disponível para os momentos em que precisarmos fazer um saque.

Gostaria que você pensasse agora em todos os relacionamentos que são importantes para você. Seja no contexto da família, dos amigos ou do trabalho.

Você tem feito os depósitos? Porque é bastante provável a necessidade de fazer um saque a qualquer momento.

Que tal fazer um depósito hoje?

Uma ligação, uma mensagem de texto ou aquele “olho no olho” de um minutinho, manifestando um agradecimento genuíno ou valorizando algo que a pessoa faz de bom.

Saiba que isso pode mudar o seu dia e o dia da outra pessoa também.

Um grande abraço e até breve...

* O conteúdo e a opinião expressa neste artigo não representam a opinião do Grupo CIMM e são de responsabilidade do autor.
Foto_perfil

Samanta Luchini

Mestre em Administração com Foco em Gestão e Inovação Organizacional, Especialista em Gestão de Pessoas pela Universidade Municipal de São Caetano do Sul – USCS e em Neurociência pela Unifesp.
Psicóloga pela Universidade Metodista de São Paulo.
Executive & Life Coach em nível Sênior, com formação internacional pelo ICI (Integrated Coaching Institute) em curso credenciado pela ICF (International Coach Federation).
Professora convidada dos programas de pós-graduação da FGV/Strong, Universidade Metodista e Senac, dos programas de MBA da Universidade São Marcos e Unimonte, e dos cursos FGV/Cademp, para a área de Gestão de Pessoas.
Professora conteudista do Centro Universitário da Fundação de Ensino Octávio Bastos – UNIFEOB.
Formadora de consultores e treinadores comportamentais.
Atua há mais de 23 anos com Gestão de Pessoas em diversas empresas e segmentos, dentre elas Wickbold, Bridgestone, Bombril, Solar Coca-Cola, Porto Seguro, Grupo M. Dias Branco, Prensas Schuler, Arteb, Grupo Mardel, Tegma, Pertech, Sherwin-Williams, Grupo Sigla, Unilever, Engecorps, Nitro Química, Grupo Byogene, Netfarma, NTN do Brasil, TW Espumas, Ambev, Takeda, Pöyry Tecnologia,
Neogrid, Scania, Kemp, Ceva Saúde Animal, Embalagens Flexíveis Diadema, Sem Parar, CMOC, Camil e Toyota.
Em sua trajetória profissional e acadêmica, já desenvolveu mais de 27.000 pessoas, com uma média de avaliação superior a nota 9,0 em todos seus treinamentos.
Palestrante, consultora de empresas e autora de diversos artigos acadêmicos publicados em congressos e revistas.
Colunista da revista Manufatura em Foco – www.manufaturaemfoco.com.br


Mais artigos de Samanta Luchini

Comentários