INFLUÊNCIA DA RUGOSIDADE SUPERFICIAL INICIAL NA FORMAÇÃO DE REBARBAS NO MICROFRESAMENTO DA LIGA Ti6Al4V

por: Guilherme Henrique Alves Andrade, Maksym Ziberov, Marcio Bacci Da Silva

Acessar artigo completo



Ano: 2019

Instituições de ensino: Universidade Federal de Uberlândia, Centro Univesitário UNA, Universidade Federal de Uberlândia

Idioma: Portugues

Logo-abcm-300
Logo-cobef-2019



Resumo

O processo de microusinagem tem se apresentado como um importante processo de fabricação de peças que possuem dimensões na ordem de micrometros. Nesta situação o mecanismo de formação do cavaco se diferencia dos processos de macrousinagem, assim como os fenômenos envolvidos, como a formação de rebarbas. No caso da microusinagem, a rebarba pode ser ainda mais crítica pois assume dimensões relativamente maiores quando comparadas com os parâmetros profundidade de corte e avanço, dificultando um possível processo de rebarbação. O avanço e a profundidade de corte da microusinagem assumem valores muito menores comparados com a usinagem convencional. Assim, a preparação do corpo de prova a ser usinado terá muita influência no processo, principalmente na formação de rebarbas. Desta forma, este trabalho investiga a influência da rugosidade superficial inicial do corpo de prova na formação de rebarbas no microfresamento da liga Ti6Al4V. São usinadas amostras com superfícies com diferentes acabamentos superficiais: lixa 320, 400, 600, 1000 e polida. Os melhores resultados em relação a geometria de rebarba foram obtidos nas amostras preparadas com lixa 320 e polida com óxido de alumínio. Para estas condições as alturas médias das rebarbas foram, respectivamente,4,72 µm e 4,92 µm.


Palavras chave

Acessar artigo completo




Comentários



Veja outros trabalhos acadêmicos

Outros conteúdos

Fórum

Tire suas dúvidas e ajude outras pessoas no CIMM:

Faça uma pergunta