por Cadium Comércio Importação e Exportação Ltda.    |   12/07/2022

Óleo de Corte para Usinagem: Como realizar a escolha do melhor lubrificante?

Devemos saber que as principais funções do fluido de corte utilizado nos processos de usinagem são a lubrificação à baixa velocidade e a refrigeração à alta velocidade. Outras funções não menos importantes deste lubrificante são a de propiciar a melhora da remoção do cavaco da zona de corte e a de proteger tanto o equipamento como a peça contra a corrosão. O óleo de corte para usinagem atua no processo formando uma película lubrificante entre a peça e a ferramenta de corte, inibindo a formação de microsoldagem na superfície de contato.

Em uma operação quando se necessita que ocorra uma melhor dissipação de calor e refrigeração, tanto da peça como da ferramenta de corte, o mais recomendado é a utilização de um fluído de corte à base de água, o chamado óleo de corte solúvel em água. Isso se deve porque normalmente nas operações que são realizadas às altas velocidades, não há condições favoráveis para a penetração do óleo de corte para usinagem na zona de contato entre a ferramenta e o cavaco, para que este possa exercer a função de lubrificante. Para estas operações, a utilização de um lubrificante de corte à base de água é de extrema importância para a operação.

Quando são realizadas operações de usinagem com baixas velocidades, o poder de refrigeração do processo em certos aspectos é menos importante, sendo a lubrificação a função principal a ser considerada. Neste caso, o uso de um óleo integral para usinagem ou um fluido de corte refrigerante à base de óleo é o mais indicado.

Por que devemos utilizar o Óleo de Corte para Usinagem?

Um dos maiores objetivos do processo de usinagem de metais é a obtenção de um menor custo total por quantidade de peças produzidas. E para que isso ocorra, há de haver um aumento da taxa de produção, algo que só será possível de ser atingido, quando o uso do óleo de corte para usinagem proporciona os seguintes resultados:

  • melhorar o acabamento superficial da peça usinada;
  • contribuir para facilitar a remoção do cavaco da zona de corte;
  • proporcionar o aumento da vida útil do ferramental e a consequente redução do custo do processo;
  • realizar a diminuição da temperatura da peça e da zona de corte, evitando assim, dilatações, deformações e erros de medidas;
  • evitar a ocorrência da oxidação da peça e do equipamento;
  • possuir elevada resistência à oxidação, o que contribui para prolongar a vida do óleo de corte para usinagem.

Óleo de Corte para Usinagem: qual o melhor a ser utilizado?

A escolha do melhor óleo de corte para usinagem está ligada a três fatores fundamentais: o tipo de material que será usinado, a operação que será feita e que tipo de ferramenta que será utilizada.


Continua depois da publicidade


O uso do fluído de corte solúvel sintético normalmente é indicado para operações onde a refrigeração é mais importante para o processo. Já o fluído de corte integral sintético é indicado para as operações onde o fator primordial é manter a lubrificação do processo.

A seguir, destacamos algumas ligas metálicas e indicamos o óleo de corte para usinagem mais adequado para a operação. 

Alumínio: é um metal de fácil usinabilidade, e com isso, normalmente a utilização de um óleo de corte solúvel mineral à base de óleo básico e materiais graxos atende plenamente à lubrificação do processo. O lubrificante não necessita conter aditivo EP (extrema pressão), mas a formulação do óleo de corte não pode conter enxofre, pois este ataca o metal. Como lubrificante ideal para o processo indicamos o óleo de corte solúvel VENTURI BIO 450, que é um lubrificante de base vegetal que atende a NR15.

Ferro Fundido: este metal em algumas operações pode até ser usinado à seco, mas o uso de um óleo de corte solúvel contribui para remover os cavacos e reduzir a temperatura da peça, evitando assim que ocorram deformações. O óleo solúvel sintético para usinagem ALOCTON SU 200 é uma excelente opção para este tipo de operação.

Cobre: na usinagem do cobre e suas ligas geralmente é utilizado o óleo de corte solúvel, mas este lubrificante precisa ser formulado sem a presenta de enxofre e cloro em sua composição, pois estes produtos atacam e mancham o metal. E se o óleo de corte escolhido não gerar uma perfeita lubricidade, os cavacos do metal poderão ficar grudados nas ferramentas e arranharão as peças. A utilização do óleo solúvel de corte biodegradável de base vegetal VENTURI BIO 340, não gera tais problemas, pois é um lubrificante desenvolvido com aditivos ecológicos que lhe conferem uma excepcional performance em lubrificação e refrigeração na área de corte, mesmo em trabalhos extremos.

Magnésio: é um outro metal que também pode ser usinado à seco e em altíssimas velocidades, mas quando usinado com o auxílio de um bom óleo de corte, este lubrificante não pode ser à base de água, pois esta reage com o cavaco e pode apresentar riscos de ignição. O óleo de corte para usinagem também não pode conter enxofre em sua formulação. O mais adequado e mais econômico para o processo é a utilização de um óleo de corte mineral integral, e o AKRA ILO 10 da CADIUM cumpre com perfeição esta função de lubrificação.

Prolongando a vida útil do Óleo de Corte para Usinagem

A seguir enumeramos algumas “digas” para que você consiga obter os melhores custos e benefícios do óleo de corte para usinagem utilizado em seu processo:

  • armazenar o óleo de corte em condições adequadas: mantenha-o longe das intempéries, em local limpo, com temperatura controlada e livre de contaminação;
  • realizar a perfeita alimentação do fluído de corte: esta deve ser feita diretamente sobre a aresta de corte em volume e pressão adequada, e sempre ter o seu processo iniciado antes da operação de corte;
  • controlar a limpeza: a eliminação do odor da emulsão do fluído de corte está intimamente ligada à limpeza do local de operação e dos reservatórios, sendo que se necessário, deve ser realizada a adição periódica de fungicidas e bactericidas;
  • filtrar o óleo de corte: a constante filtragem e decantação do fluído de corte em uso, contribui para a sua purificação, recuperando assim a sua capacidade de lubrificação;
  • minimizar o contado direto com o fluído de corte: o contato do operador com o fluído de corte pode ocasionar dermatites em sua pele, e o contato dos fluídos corporais e resíduos de alimentos com o óleo de corte pode desencadear problemas de formação de fungos e bactérias.

Você está interessado em como obter mais informação de como prolongar a vida útil do seu fluído de corte para usinagem? Ou na dúvida para escolher o melhor óleo de corte de usinagem para o seu processo? Então consulte a CADIUM. A nossa equipe de técnicos estará a disposição para tirar as suas dúvidas, indicar o melhor lubrificante, ou encontrar a melhor solução para a sua necessidade. Consulte a CADIUM pelo telefone (11) 4047-9292, por WhatsApp (11) 97587-7837, ou por e-mail cadium@cadium.com.br. Aguardamos o seu contato.

* Esta empresa é parceira do Grupo CIMM
O conteúdo e a opinião expressa neste artigo não representam a opinião do Grupo CIMM e são de responsabilidade do autor.

Cadium Comércio Importação e Exportação Ltda.

Cadium Comércio Importação e Exportação Ltda.

Comentários