Faça você mesmo: criatividade à serviço da indústria

Antes de contratar uma consultoria, procure soluções simples e rentáveis

Imagem: Divulgação

Quando viu no Fórum do CIMM que uma empresa passava por dificuldades para adaptar um sistema de furação profunda, com refrigeração interna para brocas em um torno convencional, Cláudio Curvello, consultor técnico da Metalurgica Stracke, deu uma resposta original à questão: faça você mesmo.

Segundo Cláudio, bastava verificar a concentração do óleo e utilizar uma bomba de 40 bar/50l/m a 1750 acionada por um motor de 5cv. Seria necessário utilizar uma válvula reguladora de vazão em linha e uma válvula de segurança, tomando cuidado para que o filtro não tivesse uma espessura maior do que 35 microns.

Como consultor, Cláudio, que está há mais de 30 anos no setor metal-mecânico, acredita que no dia-a-dia surgem muitas questões, não somente com relação à usinagem mas também outros pequenos problemas, principalmente na área de hidráulica industrial, que podem ser resolvidos com conhecimento e um pouco de bom senso, evitando a contratação seviços caros e nem sempre eficientes.

"Toda empresa, não importa o segmento, tem condições de resolver seus problemas e, dentro das possibilidades, analisar a relação custo/benefício, antes de contratar uma consultoria", acredita Cláudio.

Para ele, são muitos os casos em que se pode aumentar a agilidade, economia e independência de uma empresa usando soluções criativas. Isso se aplica tanto em operações complexas de usinagem como no reaproveitamento de determinadas matérias-primas, desde que a logística e o maquinário tornem a operação economicamente viável.

O rejeito de efluentes oriundos de operações de usinagem, por exemplo, representa atualmente um grande problema para as indústrias, porque agridem o meio ambiente e o bolso do empresário, que tem que pagar para fazer o descarte corretamente.

Os rejeitos, óleos refrigerantes e de corte, que emulsionados na água se tornam poluentes, têm que passar por tratamento para retornar ao meio ambiente, mas, segundo Cláudio, já existem equipamentos baratos e de fácil fabricação, como SKIMMERS que podem resolver o problema. Esse aparelho usa a tensão superficial, para retirar o excesso do volume molar da emulsão de forma mecânica. Assim, a água pode retornar ao meio ambiente sem os altos custos das estações de tratamento de águas ou efluentes.

Para Cláudio, a busca de soluções práticas e de baixo custo é uma tendência nas empresas. "Venho observando uma postura curiosa do empresariado. Ultimamente estão começando a notar que medidas simples e de baixo custo, mas que apresentam uma alta eficiência, como o transporte magnético de cavacos, e a automatização de maquinas e células de produção, tornam o produto final altamente competitivo". Nada mais apropriado para um momento de crise.

Tópicos:



Comentários