Gerdau e FIEMG Lab buscam startups em programa de desafio tecnológico

A Gerdau e o FIEMG Lab acabam de lançar a 4ª edição do programa Gerdau Challenge FIEMG Lab. O hub de inovação aberta entre startups indtechs e indústrias do Brasil, iniciativa pioneira do Instituto Euvaldo Lodi (IEL), por meio da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG), tem o propósito de acelerar o futuro da indústria para o aumento da competitividade e da inovação aberta. As inscrições estão abertas e podem ser feitas no site até o dia 16 de agosto.

Como uma das Indústrias do Futuro do FIEMG Lab, a Gerdau, maior empresa brasileira produtora de aço, procura por startups e/ou spin-offs que possam solucionar três desafios.

Um deles é agilidade no monitoramento do carvão vegetal na usina, por meio de uma ferramenta de análise em tempo real para a classificação da matéria-prima ao ser recebida em Divinópolis/MG; outro, medição online de empeno de perfis metálicos na laminação, com soluções para medição automatizada e em tempo real do empeno do tipo alma, dando agilidade ao processo e reduzindo o tempo de parada para medições; e, por fim, a redução da geração de finos na produção de carvão vegetal, soluções para a redução de finos entre a etapa de carbonização, na planta da Gerdau em Três Marias, e o envio para a usina, aumentando a qualidade e o rendimento da matéria-prima.

Benefícios

As startups participantes terão benefícios como a contratação para realização da Prova de Conceito (POC), caso avancem nas etapas do programa; expansão da solução da startup, uma vez validado o teste e colaboração e aprendizado em conjunto com a equipe do FIEMG Lab e o time técnico da Gerdau.


Continua depois da publicidade


No dia 3 de agosto, os especialistas da Gerdau realizaram um webinar ao vivo, pelo canal no Youtube do FIEMG Lab, para apresentar os desafios, alinhar os ganhos esperados e esclarecer dúvidas.

De acordo com Jackson Reis, especialista em inovação da Gerdau, o programa de inovação aberta tem o objetivo de testar novas soluções nos desafios das nossas operações em Minas. “O programa está alinhado a nossa agenda ESG e tem sido um sucesso. Acreditamos no desenvolvimento tecnológico no setor como forma de criarmos soluções mais competitivas e, ao mesmo tempo, sustentáveis e disruptivas”.




Comentários