Inovação: Plataforma de TI para a indústria sincroniza o fornecimento e a demanda de eletricidade

O objetivo do projeto é permitir que as empresas do setor sejam flexíveis em seu consumo de energia em particular, o que permitirá um uso mais eficiente do fornecimento flutuante de energia renovável.

Até 2045, toda a eletricidade na Alemanha deve vir de fontes renováveis. No entanto, segundo o Instituto Fraunhofer, o aumento do uso de energia renovável leva a um fornecimento de eletricidade constantemente flutuante por conta da dependência do clima. Para garantir que o equilíbrio entre oferta e demanda possa ser garantido em todos os momentos, são necessárias medidas para compensar essas flutuações. Pesquisadores do Instituto Fraunhofer têm trabalhado em uma solução para esse desafio da indústria.

Quatro projetos compõem uma das maiores iniciativas de pesquisa do governo federal alemão sobre o tema da transição energética. A plataforma SynErgie faz parte dos projetos Kopernikus que se concentram na flexibilidade energética na indústria. Dentro do projeto de pesquisa SynErgie Kopernikus, a Fraunhofer IPA está trabalhando com mais de 90 empresas da indústria, organizações científicas e sociedade civil para desenvolver tecnologias, conceitos e medidas para adaptar processos de produção e tecnologias transversais a um fornecimento de energia flutuante. 

No futuro, a plataforma deverá ser capaz de coordenar oferta e demanda, automatizar e padronizar todo o processo de negociação de flexibilidade de energia da máquina ao mercado por meio da plataforma de TI e seus serviços. Os serviços digitais executados na plataforma usam dados dos sistemas e plantas das empresas para determinar como usar as diversas medidas de flexibilidade disponíveis, dependendo da demanda. 

Até o final de 2022, a arquitetura de referência para isso deve estar completa e será testada usando várias pesquisas e demonstradores da indústria na região modelo de energia flexível de Augsburg. A Fraunhofer IPA está coordenando o projeto ao lado do Instituto de Eficiência Energética na Produção (EEP) da Universidade de Stuttgart. 


Continua depois da publicidade


“Para este projeto, estamos desenvolvendo tecnologias flexíveis de produção e transversais, bem como um backbone de TI que permitirá às empresas controlar com flexibilidade a demanda de energia de suas plantas e usar essa flexibilidade de forma lucrativa no mercado de energia. Para isso, temos dois pontos focais: Os sistemas de TI com seus serviços, algoritmos de prognóstico e algoritmos de agregação, e as várias soluções tecnológicas necessárias para sincronizar a produção com a geração de eletricidade e separar o consumo de energia de processo do consumo de eletricidade no ponto de conexão à rede”, explica Ozan Yesilyurt, cientista da IPA.

Plataforma corporativa e de mercado

A plataforma de sincronização de energia é composta por duas subplataformas – uma plataforma corporativa e uma plataforma de mercado. O primeiro pode registrar, gerenciar e agregar a flexibilidade energética de uma empresa. O objetivo é informar às empresas como elas podem usar sua flexibilidade no mercado para comprar energia a um preço acessível ou vendê-la, caso já a tenham adquirido. Já a plataforma de mercado atua como um corretor de serviços que garante que as empresas que necessitam de flexibilidade tenham acesso ao fornecimento.

Os agregadores podem, por exemplo, se cadastrar na plataforma do mercado e registrar seu interesse em comprar ou vender flexibilidade. A plataforma de mercado então compartilha a flexibilidade da empresa com os profissionais de marketing de flexibilidade, que então vendem essa flexibilidade no mercado de energia. A plataforma de sincronização de energia diferencia-se das plataformas de comercialização de energia, em que a flexibilidade energética é negociada. A nova plataforma oferece maior intercâmbio entre os comerciantes do mercado de energia e empresas capazes de oferecer flexibilidade.




Comentários