Fiat encerra produção de Grand Siena e Doblò no Brasil

Além do fim da produção do sedã Grand Siena e do Doblò, Fiat também encerrou a fabricação do motor 1.8 que equipava Argo, Cronos e Toro.


Continua depois da publicidade


O portfólio da Fiat no Brasil acaba de ficar menor. De uma só vez, a montadora italiana encerrou a produção dos modelos Grand Siena e Doblò, além das versões 1.8 de Argo, Cronos e da picape Toro. Outro carro da Fiat que também se despediu em 2021 foi o hatch Uno, que ganhou a edição de despedida “Ciao”. Os respectivos modelos e versões já não aparecem mais no site oficial da Fiat. 

O fim da produção do motor 1.8 flex de 139 cv e 189 Nm já era esperado, uma vez que ele não se adequa às novas regras de emissão de poluentes do Proconve L7, que entram em vigor no dia 1º de janeiro. Além da picape Toro e dos modelos Argo e Cronos, ele também equipava o Jeep Renegade. Prestes a receber uma reestilização, o SUV produzido em Goiana (PE) passará a ser equipado apenas com o novo motor 1.3 turbo flex de 185 cv.

No caso do Doblò, o monovolume era oferecido em opções para passageiros – com até 7 lugares – ou furgão, sempre com o motor 1.8. Lançado em 2002, o modelo produzido há 19 anos em Betim (MG) recebeu apenas uma reestilização visual em 2010, e não acompanhou a evolução do Doblò europeu. Pelo menos a princípio, o modelo não terá substituto no Brasil.

Já o sedã Grand Siena era oferecido em versões com os motores 1.0 e 1.4 Fire. Derivado da segunda geração do Palio, o Grand Siena foi lançado em 2012. Em quase 10 anos de produção, o modelo não recebeu modificações visuais relevantes – com exceção de uma nova grade dianteira e do logotipo script Fiat na tampa traseira – e era oferecido com foco em vendas diretas, sobretudo para taxistas e motoristas de aplicativo. 

Para 2022, a expectativa é a de que o sedã Cronos ganhe uma versão de entrada com o motor 1.0 Firefly de 77 cv e 107 Nm do Argo para substituir o Grand Siena. Além disso, tanto o Argo quanto o Cronos também devem ganhar uma opção com câmbio automático. A exemplo da picape Strada, o conjunto deve ser o mesmo que equipa as versões de entrada do Pulse, que traz o motor 1.3 Firefly de 107 cv e 134 Nm associado a um câmbio automático do tipo CVT, que simula 7 marchas.




Comentários