Manutenção industrial é decisiva para produtividade do setor de alimentos e bebidas

A produção diversificada e economicamente eficiente de alimentos e bebidas de alta qualidade costuma vir acompanhada de prazos de entrega apertados. Para ganhar eficiência operacional em um ambiente como esse, as principais empresas do setor têm optado cada vez mais por terceirizar as atividades ligadas à manutenção, em geral com ganhos significativos de produtividade.

Ninguém duvida que erros ao longo da cadeia de alimentos e bebidas possam causar danos enormes. Pode ser um lote perdido devido à contaminação, ou a paralisação completa de uma linha de produção por falha de equipamento, ou ainda, descumprimento de um cronograma de manutenção. Daí que a manutenção adequada das plantas industriais, e das infraestruturas relacionadas a elas, não é secundária para alcançar o sucesso, mas sim a base decisiva para processos produtivos de elevada exigência.

Segundo pesquisa publicada na Food Engineering Magazine, que ouviu gestores de fábricas de alimentos, a manutenção otimizada é uma alavanca poderosa para ganhos de produtividade no setor. Cerca de 70% dos entrevistados consideraram a terceirização dos serviços de manutenção muito importante para uma produção eficiente.

Os gestores indicaram ainda que os serviços terceirizados aumentaram a produção em até 30%, a partir de diretrizes igualmente rígidas em todo o processo de manutenção, com foco em produtividade e qualidade, como ocorre na produção final da empresa contratante.

O caso de uma líder do segmento de embalagens para alimentos torna evidente como a manutenção terceirizada pode incrementar os processos produtivos. Nas fábricas que esse grupo possui no Brasil, a Leadec ficou responsável pela manutenção dos equipamentos e pela limpeza técnica, mas também pelo suporte para a operação das instalações fabris.

Durante essa trajetória, a fabricante de embalagens conseguiu aprimorar a gestão do estoque de peças de reposição ao longo de três anos seguidos, garantindo assim que todo o material necessário estivesse sempre disponível. Em 2018, o estoque de peças de reposição tinha uma taxa de disponibilidade de peças de 78%; em 2019, havia melhorado para 81%; e através de esforços contínuos atingiu a surpreendente marca de 99,98%, em 2020.


Continua depois da publicidade


Ainda neste período, a contratante aumentou a capacidade de entrega em 165%, mesmo mantendo estável o número de profissionais em atividade. E melhorou radicalmente o índice de pontualidade: de 7% para 94%. A empresa também ajudou a reduzir significativamente o número de reclamações: em 2019, foram apenas dois registros, ambos de baixo risco.

Com a terceirização, o aumento da qualidade foi combinado com a economia de tempo e o custo reduzido. Além disso, houve ganhos resultantes da formação da mão-de-obra que foi oferecido pela empresa na própria planta industrial do cliente, conferindo aos processos produtivos maior segurança e eficácia.

Legislação em dia

Para operar dentro das normas estabelecidas por uma legislação rígida, como a que regula a indústria de alimentos no Brasil, a Leadec criou rotinas especiais para a fiscalização de insumos, produção, acondicionamento, transporte e armazenagem. 

Dessa forma, todos os dados são devidamente registrados, centralizados e processados ​​de forma inteligente para cumprir os regulamentos. E os dados são a base para enfrentar o desafio que também está impulsionando a indústria de alimentos: a digitalização dos negócios.

Para competir em um mercado global, os fabricantes de alimentos devem colocar em rede, em um ambiente digital, os processos de produção, garantindo assim que todos os dados sejam documentados de forma compatível com a legislação. 

Para atender a esses requisitos, a Leadec oferece uma plataforma com a máxima transparência no planejamento e prestação de todos os serviços, para que os clientes visualizem e controlem digitalmente todos os processos relevantes ligados à produção, usando de forma inteligente os dados obtidos.

A plataforma, batizada Leadec.os, é baseada na tecnologia da desenvolvedora de softwares Salesforce, capaz de criar uma interface confortável com os sistemas existentes. Uma nuvem doméstica própria para a Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês) complementa a plataforma e torna a colaboração particularmente eficiente.

A Leadec.os pode ser usada, por exemplo, para avaliar os dados do sensor em tempo real, a fim de chegar a uma manutenção preventiva que evite a falha iminente das máquinas. Na prática, significa que os sensores nas bombas podem indicar se as vibrações resultantes estão dentro da norma ou indicam uma falha previsível.

A solução habilitada para IoT cria uma base de tomada de decisão na qual a indústria de alimentos e o provedor de serviços podem, em conjunto, tornar os processos ainda mais econômicos, qualitativamente melhores e mais flexíveis. E a perspectiva de otimização representada pelo futuro das fábricas conectadas em rede poderá ser aproveitada para uma produtividade ainda maior de cada uma das unidades fabris.




Comentários