CTA Smart recebe R$ 5,5 milhões em rodada liderada pela Indicator Capital com participação da Marcopolo


Continua depois da publicidade


Sem nenhum investidor nos quase dez anos de operação, a startup gaúcha CTA Smart conseguiu construir um negócio de tecnologia que atende mais de 800 empresas no Brasil e nos Estados Unidos. Seu modelo de negócio não é "sexy", mas facilita a vida das empresas que administram frotas: a startup automatiza os sistemas internos de abastecimento de combustível das companhias clientes. Hoje, o negócio ajuda a controlar mais de 2.000 bombas, que transacionam mais de 1 bilhão de litros por ano.

Para poder investir em tecnologia e colocar o pé no acelerador na internacionalização, a startup captou uma rodada de investimento de R$ 5,5 milhões liderada pela Indicator Capital e com participação da fabricante de ônibus Marcopolo, via seu braço de corporate venture capital, a MarcoZero. Se a empresa crescer na velocidade esperada pelos investidores, a rodada pode chegar a R$ 19 milhões nos próximos 18 meses.

"A CTA Smart tem grande alinhamento com nossa tese de investir em empresas de Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês). Com sua solução, a empresa traz ganhos de eficiência expressivos para os clientes e coleta dados que podem gerar novos insights para os negócios. É uma tecnologia 100% brasileira e que tem a oportunidade de ser expandida internacionalmente", diz Fábio Iunis de Paula, cofundador da Indicator Capital.

Já para a MarcoZero, a startup foi escolhida por poder agregar valor para seus clientes no Brasil e no mundo. “Estruturamos nosso braço de investimentos em 2019 para nos posicionar como um player protagonista do sistema de mobilidade, que está em franca transformação graças à tecnologia. Já analisamos mais de 1.000 iniciativas para chegar a uma transação com tanta sinergia como essa. Para nossos clientes, a gestão de combustível é uma das principais dores”, afirma João Paulo Ledur, diretor de estratégia e transformação digital da Marcopolo.

Com a rodada, a CTA Smart planeja expandir sua equipe, hoje com 60 pessoas, contratando pelo menos mais 30 até o final do ano que vem. A operação nos Estados Unidos, sediada na Flórida, também deve crescer, passando de três para 15 pessoas até dezembro de 2022. Em breve, a empresa vai abrir um escritório também no México para cuidar da expansão pela América Latina.


Continua depois da publicidade


Em termos de tecnologia, os planos são lançar uma nova versão do software, com uma interface mais amigável e customizável, nos próximos meses. Neste ano, a companhia projeta um crescimento de 35% sobre a base do ano passado e, a partir do ano que vem, os planos são crescer pelo menos 50% ao ano até 2024.

Como funciona

Esqueça os postos de combustível para o cliente final. O negócio da startup é focado nas bombas que empresas de transporte de cargas, transporte de passageiros, mineração, construção civil, agricultura e usinas instalam em suas plantas para poder ganhar agilidade, reduzir custos e monitorar o gasto com diesel. Estima-se que mais de 290.000 empresas no país usem soluções do tipo, movimentando R$ 3 bilhões por ano.

"As gigantes até têm tecnologia, mas as pequenas e médias controlam esses gastos com planilhas de papel que depois são digitalizadas no ERP", diz Bruno Lopes, cofundador e presidente da CTA Smart ao EXAME IN.

A solução da startup, então, combina um software de gestão com um hardware próprio que pode ser instalado nas bombas para coletar dados sobre o abastecimento, como o nome do frentista e do motorista, o veículo abastecido e a quilometragem rodada. Como é conectado à internet, o equipamento envia automaticamente as informações para o sistema em nuvem, que pode ser gerenciado remotamente pelas empresas.

Além dos clientes diretos, como MetrôRio, Fagundes e BBM, a startup oferece seus serviços para grandes distribuidoras, como Ipiranga, que envelopam o produto e oferecem para a sua base de clientes corporativos como um diferencial.




Comentários